quitar dívidas

Quitar Dívidas: passo a passo para sair da dívida do cartão de crédito

Quitar dívidas é o sonho de muita gente. Mas, para isso, é preciso ter disciplina e planejamento.

Neste artigo, vamos mostrar um passo a passo para quitar as suas dívidas e organizar a sua vida financeira.

Afiliado jivochat

Comece já a colocar em prática essas dicas!

Dívidas, o mal do século

Conforme uma investigação concretizada em 2020 pela Confederação Nacional de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o motivo que causa a maioria do endividamento do brasileiro é o cartão de crédito.

O parcelamento de compras, o saque em conta e a utilização do limite disponível são as principais causas para o aumento da dívida.

Além disso, o pagamento mínimo do cartão de crédito, acaba não sendo suficiente para quitar a dívida e o valor da fatura só aumenta.

Para fugir desse ciclo vicioso que é o uso do rotativo do cartão de crédito é necessário disciplina nas compras a prazo e organização financeira.

Talvez faça parte da cultura do brasileiro ou da maioria das pessoas no Brasil. Realizar compras à prazo, pensando somente na parcela mensal, sem fazer uma programação prévia.

Ademais, o fato de poder pagar somente um valor mínimo do cartão de crédito pode dar a sensação de ter a autorização de pagar depois.

O que pode não estar claro para a maioria da população é que os juros cobrados sobre o valor restante do valor não pago na fatura do cartão de crédito são altíssimos.

E, muitas vezes o consumidor não tem noção de quanto está pagando ao utilizar o rotativo do cartão de crédito.

Quem nunca fez a seguinte conta: vou pagar o mínimo da fatura do cartão de crédito e o valor que sobrou vou utilizar no próximo mês?

Pois é, essa atitude acaba criando um ciclo vicioso de dívidas.

Como consequência, a dívida não para de crescer, gerando mais juros e impossibilitando o pagamento à vista.

E, quanto mais você se endivida, menos dinheiro sobra no final do mês para pagar as outras despesas.

O que fazer em caso de Dívidas com o cartão de crédito?

É preciso avaliar cada situação. Porém, em algumas ocasiões é muito melhor optar por tomar um empréstimo pessoal com uma taxa mais baixa e, quitar todo o cartão de crédito.

Tenha em mente que nenhuma empresa, banco ou fintech deseja perdê-lo como cliente. Por isso, as empresas estão abertas e dispostas a negociar suas dívidas.

Afinal, não é vantajoso para nenhuma dessas empresas mantê-lo como o nome sujo no mercado. Pois, elas querem continuar vendendo para você, negociando e tendo lucros.

Por outro lado, você também deseja continuar tendo acesso ao crédito, quer seja por meio do cartão de crédito, quer seja por outros meios.

Dicas para sair da dívida do Cartão de crédito

1)Saiba o quanto você deve

Especifique em um papel ou aplicativo o valor de cada cartão de crédito. Separe o valor principal, data de vencimento, valor mínimo para pagamento e coloque uma observação sobre o percentual de juros que é cobrado em cada cartão.

Isso é importante para você ter uma noção do quanto deve em cada cartão e ainda, saber qual é o cartão com maior taxa de juros.

Com base nessa análise, você poderá escolher pelo menos um cartão de crédito para priorizar o pagamento.

Analisando a sua dívida, comece a fazer um planejamento financeiro e crie uma meta de quanto você poderá pagar por mês em cada cartão.

2) Faça um Orçamento Pessoal

Depois de saber o quanto você deve, passe para o próximo passo que é organizar suas finanças. Anote todos os seus ganhos, gastos fixos e variáveis.

Use uma planilha ou uma aplicativo, ou anote em um bloco de anotações ou caderno, para que você entenda como anda a sua saúde financeira.

Com o seu orçamento em mãos, você terá um controle do quanto precisa para pagar as dívidas e ainda sobrar dinheiro para outras despesas.

Faça uma lista dos gastos fixos, variáveis e os extras. Verifique também quantas parcelas estão atrasadas.

E, ao fazer o seu orçamento, considere uma margem de erro para imprevistos. Afinal, é importante que você saiba se organizar para cumprir as metas que estabeleceu.

3) Verifique o quanto você precisaria usar do seu salário para quitar a dívida

Com base no seu orçamento, verifique quanto você pode destinar para o pagamento das dívidas com o cartão de crédito ou outras dívidas.

Uma dica importante é que você pague sempre mais do que o valor mínimo da fatura. Se possível, pague a totalidade da sua fatura, pois os juros do cartão de crédito são realmente muito altos.

4) Negocie com a operadora de cartão de crédito

Agora que você já sabe o quanto pode destinar para o pagamento de sua dívida, o próximo passo é negociar com a operadora do cartão de crédito.

Essa negociação pode ser feita por telefone, e-mail ou até mesmo pessoalmente na loja da operadora.

Apresente o seu orçamento para a operadora e explique a sua situação. Peça para que eles reduzam a taxa de juros, caso contrário, você não terá como quitar a dívida.

Além da redução da taxa de juros, você também pode pedir para que a operadora negocie uma dívida com mais prazo para pagamento.

Tenha cuidado para não aceitar uma proposta que não está dentro de suas condições. Deixe o nervosismo e a ansiedade de lado e analise bem a proposta da operadora.

5) Aproveite promoções do tipo feirão e similares

Muitos bancos e financeiras oferecem promoções de feirão para negociação de dívidas. Essa é uma ótima oportunidade para você renegociar a sua dívida.

Em muitos casos os descontos são bem altos. Além disso, você pode parcelar a dívida em até 12 vezes.

Para não perder essa oportunidade, fique de olho nas redes sociais e nos sites das operadoras para saber quando será o próximo feirão.

6) Diminua o limite do seu cartão

Se você tem dificuldade de se dominar ou não tem o hábito de fazer um orçamento, uma boa dica é diminuir o limite do seu cartão.

Com isso, você evitará que a sua dívida cresça ainda mais. Diminuindo o limite do seu cartão você terá um limite que o impede de gastar mais do que deve.

7) Elimine gastos

É preciso priorizar o que realmente é necessário do supérfluo. Você precisa ser realista em relação aos seus gastos.

O fato de ter um limite não siginifica que você realmente tenha esse dinheiro. O limite do cheque especial ou do cartão de crédito na verdade é um empréstimo.

E, assim como qualquer empréstimo, você precisa devolver o valor gasto, mais os juros.

Por isso, analise seus hábitos de consumo e tente eliminar aqueles que são supérfluos. Desse modo, você terá mais dinheiro para pagar as suas dívidas.

Sair das dívidas não é uma tarefa fácil, mas com disciplina e organização financeira você conseguirá quitar todas as suas dívidas.

8) Evite compras parceladas

Algumas pessoas tem o vício de parcelar tudo. Porém, isso é um erro, pois os juros das parcelas são altos e podem te levar ao endividamento.

O ideal é que você compre somente o que pode pagar à vista. Caso contrário, você terá mais dívidas para quitar e ficará ainda mais endividado.

Por isso, evite parcelar as suas compras e pague à vista sempre que possível.

Afinal, não se pode presumir se você terá um emprego no próximo mês, se não haverá imprevistos ou se a economia irá melhorar.

Portanto, é preciso ser prudente com as finanças.

9) Troque uma dívida mais cara por uma barata.

Em algumas situações um empréstimo consignado ou um empréstimo pessoal podem ajudar na hora de sair de grandes dívidas.

Por exemplo, se você paga 13 ou 14% ao mês com alguma dívida, pode optar por tomar um empréstimo com juros em torno de 2% ao mês.

Nesse caso, o ideal é que você utilize o empréstimo para liquidar a dívida mais cara. Dessa forma, você conseguirá economizar bastante com os juros.

Outra vantagem do empréstimo é que você pagará toda a dívida em uma única vez e não precisará se preocupar com mais nenhuma dívida.

Porém, fique atento para não fazer um novo empréstimo para quitar a dívida do cartão de crédito e ao receber esse alívio momentâneo, voltar a realizar gastos com o cartão.

O ideal é que você aprenda a controlar os seus gastos e passe a viver dentro do seu orçamento.

Só assim você conseguirá quitar as suas dívidas e ficar longe do endividamento.

Leia também:

Conclusão

Essas dicas podem ser usadas para outros tipos de dívidas. O importante é que você as utilize de forma correta para não se endividar ainda mais.

Pagar as dívidas não significa que você pode gastar o que quiser. É preciso fazer um controle dos seus gastos e aprender a viver dentro do seu orçamento.

Só assim você conseguirá quitar as suas dívidas e ter uma vida financeira mais saudável.

Esperamos que essas dicas tenham sido úteis para você e que consiga colocá-las em prática para sair das dívidas o quanto antes.

Até a próxima!

Systeme.io

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.